sexta-feira, 27 de junho de 2014

Gwarach-y-Rhibyn

O significado do nome Gwrach-y-rhibyn, literalmente é "Bruxa da Bruma" mas é mais comumente chamada de "Bruxa da Baba". Dizem que parece com uma velha horrenda, toda desgrenhada, de nariz adunco, olhos penetrantes e dentes semelhantes a presas. De braços compridos e dedos com longas garras, tem na corcunda duas asas negras escamosas, coriáceas como a de um morcego. Por mais diferente que ela seja da adorável banshee irlandesa, a Bruxa da Baba do País de Gales lamenta e chora quando cumpre funções semelhantes, prevendo a morte. Acredita-se que a medonha aparição sirva de emissária principalmente às antigas famílias galesas. Alguns habitantes de Gales até dizem ter visto a cara dessa górgona; outros conhecem a velha agourenta apenas por marcas de garras nas janelas ou por um bater de asas, grandes demais para pertencer a um pássaro.
Uma antiga família que teria sido assombrada pela  Gwrach-y-rhibyn foi a dos Stardling, do sul de Gales. Por setecentos anos, até meados do século XVIII, os Stardling ocuparam o Castelo de São Donato, no litoral de Glamorgan. A família acabou por perder a propriedade, mas parece que a Bruxa da Baba continuou associando São Donato aos Stardling.
Uma noite, um hóspede do Castelo acordou com o som de uma mulher se lamuriando e gemendo abaixo de sua janela. Olhou para fora, mas a escuridão envolvia tudo. Em seguida ouviu o bater de asas imensas. Os misteriosos sons assustaram tanto o visitante que este voltou para cama, não sem antes acender uma lâmpada que ficaria acesa até o amanhecer. Na manhã seguinte, indagando se mais alguém havia ouvido tais barulhos, a sua anfitriã confirmou os sons e disse que seriam  de uma Gwrach-y-rhibyn que estava avisando de uma morte na família Stardling. Mesmo sem haver um membro da família morando mais  no casarão, a velha bruxa continuava a visitar a casa que um dia fora dos Stardling. Naquele mesmo dia, ficou-se sabendo que o último descendente direto da família estava morto.

Os Ruídos da Morte

Extraído do Livro chamado: "O Livro dos Fenômenos Estranhos" de Charles Berlitz
Os habitantes das ilhas Samoa acreditam que, quando a morte se aproxima, pancadas secas paranormais são ouvidas na casa da vítima.
Esse estranho fenômeno já foi chamado de ruídos da morte, e sua existência representa mais do que mero folclore.
Genevieve B. Miller, por exemplo, sempre ouviu esses estranhos ruídos, principalmente na infância. As pancadas ocorreram durante o verão de 1924 em Woronoco, Massachusetts, quando sua irmã, Stephanie, ficou acamada com uma doença misteriosa.
Enquanto a menina permanecia na cama, ruídos estranhos, semelhantes a batidas feitas com os dedos, ecoavam pela casa. Eles soavam de três em três, sendo que o primeiro era mais longo do que os outro dois.
Certa vez, o pai de sra. Miller ficou tão irritado com os ruídos que arrancou todas as cortinas das janelas da casa, culpando-as por aquele barulho infernal. Contudo, essa demonstração de nervosismo de pouco adiantou para terminar com aquele sofrimento.
No dia 4 de outubro, já se sabia que Stephanie estava morrendo. Quando o médico chegou, ele também ouviu as pancadas estranhas.
- O que é isso? - perguntou, voltando-se para tentar descobrir a fonte do barulho.
Quando se virou novamente para a pequena paciente, ela pronunciou suas últimas palavras e morreu. As pancadas diminuíram a atividade após a morte de Stephanie, porém nunca chegaram a parar de todo. Elas voltaram, ocasionalmente, quando a família se mudou para uma casa nova.
Então, em 1928, o irmão de Stephanie morreu afogado quando a superfíc ie congelada de um rio, sobre a qual caminhava, quebrou-se. A partir dessa época, os ruídos da morte nunca mais foram ouvidos.


Fonte: sobrenatural.org

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Demônio da Noite

Esse é de minha autoria, espero que gostem


--


Por uma rua escura eu caminho apressadamente, as sombras devoram tudo a minha volta, e a sensação de estar sendo observado, seguido, é realmente incômoda. Me  viro rapidamente ao ouvir passos pesados atrás de mim... O que eu vejo não é humano, não pode ser! Seus olhos refletem meus mais profundos terrores, seus dentes são afiados, e sua boca está cheia de saliva, como se tivesse avistado um delicioso prato de comida. Eu desesperadamente corro enquanto as luzes dos postes explodem com a presença da criatura, a qual creio que posso classificar como um "demônio", certamente. Após um longo tempo de corrida, eu alcanço minha casa, e ao entrar rapidamente procuro por algo pra me defender: Na gaveta da cozinha encontro uma afiada faca. Eu me surpreendo com o barulho que se originava atrás de mim, lá  estava ele, me olhando com seus aterrorizantes olhos. Ironicamente ele me pergunta: "Está tudo bem?", que tipo de criatura doentia é essa que brinca comigo antes de me assassinar? Em um impeto, penetro a lâmina no que parecia ser seu pescoço...

Até hoje as pessoas dessa instituição tentam me convencer de que o monstro que matei era minha esposa, mas eles não vão me enganar, eu sei que eles estão me mantendo nessa sala acolchoada para me convencer de que sou maluco! Eles querem algo de mim, eles dizem que sou louco, mas eu nunca estive tão são!


--


Autor: Arthur Tavares


Simetria

Por enquanto as postagens são semanais pessoal (geralmente nos finais de semana), espero que compreendam.

--

Eu adoro a simetria. Eu não sei exatamente porque, mas é assim desde que eu era criança. 
A maioria das crianças se esquecem dessas coisas com o tempo mas, eu não! Eu sabia que tudo tinha seu lugar e no meu quarto, tudo estava exatamente onde deveria estar. Meus pais não tem "aquilo" .  Meus avós também não tinham "aquilo"  e na verdade,   nem uma única pessoa em minha família teve "aquilo."  Quando digo"aquilo" é  porque eu realmente acredito que se trata de uma coisa dentro de mim. É como se fosse um passageiro clandestino que não deveria estar lá , mas que ainda sim, vive dentro de mim. Talvez seja uma necessidade  ou quem sabe um desejo?  Um desejo de ser alguém perfeito!


Estou em uma situação onde não posso viver minha vida normalmente. Não consigo um bom emprego e as mulheres se afastam rapidamente de mim, é que elas não podem lidar com "aquilo."  Honestamente, eu não me importo quando elas me abandonam... 
Mulheres são complicadas, sempre tornam as coisas mais difíceis. Alguns exemplos? Elas rolam para o meu lado da cama ao invés de dormir em seu próprio lado, elas deixam os pratos em um único lado da pia. Eu realmente não suporto esse tipo de coisa, elas deixam a casa toda desorganizada e eu espero até que elas saiam para arrumar tudo, para colocar cada coisinha em seu devido lugar aliás, digo que na verdade, é um verdadeiro alívio quando elas saem.
Essa coisa que sinto não é algo constante porém  eventualmente, "aquilo" volta e sempre encontra algo que precisa ser colocado em seu devido lugar.  Você pode estar se perguntando o  porque de eu procurar por relacionamentos mesmo sabendo que não consigo suportá-los... 
Bem, é que para mim, é extremamente difícil dormir e ao mesmo tempo ter que me manter no centro exato da cama sem poder me mover.

Tirando esse probleminha com os relacionamentos, toda minha vida era quase que organizada. Digo "quase" porque ainda havia uma pequena questão a ser resolvida. 
Tenho o que é chamado de " Heterochromia Iridium "  ou seja, duas íris de cores diferentes. Meu olho direito é verde e o esquerdo é um tipo de azul daqueles bem pálido. Meu pai e minha mãe tem olhos azuis, meus irmãos e primos também. Meu olho verde não deveria ser dessa cor, isso foge do padrão e torna tudo muito desequilibrado.

Toda vez que eu olho para mim mesmo no espelho, ele olha de volta para mim. Tudo está em seu devido lugar,  exceto meu pequeno erro verde. No começo não doeu, foi até fácil introduzir a colher em meu olho. Na verdade eu não senti dor nem quando ele ficou pendurado em meu rosto após ter saltando para fora de minha órbita. Não sei se isso aconteceu porque eu estava em "estado de choque" ou se foi por causa "daquilo"... 
Cortei o nervo óptico e pude sentir os fluidos quentes que escorriam por toda minha face. Ter minha visão cortada pela metade foi uma sensação estranha, quase que inexplicável. Bem,  o que sobrou do nervo que estava pendurado coloquei de volta no buraco vazio. Fiz um curativo no ferimento, lavei a colher e fui dormir.

Eu acordei feliz! Foi a melhor noite de sono em anos. O problema finalmente foi resolvido.
Me levantei da cama cambaleando e até e tropecei quando cheguei no banheiro, meu corpo doía e minha cabeça estava em chamas. Eu abri a porta e a luz que vinha da janela do banheiro era ofuscante. Lentamente, removi a bandagem que estava encharcada de sangue e quando olhei para o espelho, meu estômago revirou.

Só então eu percebi a grande merda que eu havia feito... Havia um buraco no lado esquerdo do meu rosto, mas do outro lado não. Mais uma vez, as coisas estavam desbalanceadas. 
Foi muito mais difícil cavar o segundo olho, minhas mãos tremiam, por diversas vezes eu errei o jeito em introduzir a colher, acabei ferindo minha pupila por diversas vezes. 
Uma vez que removi o olho ele saltou, assim como o anterior; Peguei a tesoura para terminar o serviço só que suas lâminas estavam cheias de restos de sangue da noite anterior, estava tudo ressecado e isso não permitia com que seu corte fosse tão bom quanto antes.

Sabe quando você tenta cortar várias folhas de papel juntas e todas de uma única vez?  A tesoura sempre fica presa... Foi o que aconteceu com meu olho. O nervo óptico ficou preso entre as duas lâminas. Naquela hora, enquanto tentava desesperadamente um jeito de romper o nervo, eu escorreguei no sangue e fui parar no chão.

Enquanto caia acabei soltando a tesoura, na verdade ela escapou de minhas mãos, o peso dela pendurada em meu olho foi algo insuportável.

Eu não sei se suportaria tempo suficiente para ir até a cozinha e procurar por uma faca, então eu puxei... 
Puxei tudo para fora de minha cabeça.  Foi possível sentir a carne se descolando de meu crânio, senti algo rasgar, jorravam fluídos por toda parte. Eu sabia que estava chorando, mas não havia como saber se eram lágrimas de sangue ou de  fluido ocular.

Quando ouvi o som da carne ensangüentada batendo no chão, eu soube que estava feito!
Tive a certeza de que "aquilo" foi feito. Agora poderei viver minha vida sem ter que ver pessoas horríveis , desarrumadas e assimétricas. O alívio tomou conta de mim e eu sei que será  duradouro. Eu nunca havia me sentido assim antes, nunca tive tanta euforia como a que senti daquela vez em que eu estava naquele  banheiro, frio, úmido e pegajoso, foi a primeira vez em anos, que pude sorrir verdadeiramente.

--

Eu realmente gostei dessa creepypasta quando a li pela primeira vez, apesar não muito ser assustadora, é bem agoniante 


Fonte: medob.blogspot.com

domingo, 15 de junho de 2014

50.000 Visualizações

Pessoal, estou muito feliz pois ontem atingimos a marca de 50.000 visualizações! Eu só tenho a agradecer a vocês leitores, que fazem desse blog cada vez melhor. Obrigado por tudo!

sábado, 14 de junho de 2014

Killer Kid

Na Inglaterra, há campos verdejantes e cidades movimentadas, mas se você se aprofundar nos mistérios desse país, você encontra o paranormal. Em uma pequena cidade, Gloucester, há um caminho escuro conhecida como "A Ponte Negra". Trata-se de uma ponte de 1 quilômetro de comprimento, e rodeada de bosques.

Há campos e estradas ao redor dela, mas ao mesmo tempo andando, você sente uma sensação de medo, de estar sendo observado. Quando você entra sozinho... você tem a sensação de estar sendo vigiado.


Há algo, ou alguém, conhecido como "The Killer Kid". Há uma sensação de que qualquer coisa pode acontecer na Ponte Negra, e coisas realmente acontecem. Corpos mutilados foram encontrados e ninguém jamais encontrou o assassino, mas as pessoas sabem quem, ou o quê, ele é. Ele é o seu pior pesadelo, ele é o barulho que você ouve enquanto caminha sozinho. As autoridades têm tentado muitas vezes encontrar o assassino. Uma grande investigação foi iniciada quando o primeiro corpo foi encontrado.

A polícia vasculhou toda a área da "Ponte Negra", mas não conseguiu encontrar nada. Uma semana depois que pararam de procurar, outro corpo foi encontrado. Desta vez, com 2 desenhos de X feitos profundamente nas órbitas. Os olhos tinham sido arrancados, e a metade da pele foi arrancada é a boca foi cortada com uma expressão triste.
Toda a área da ponte preta foi grafitada com o seu nome, é o rosto com os dois X. É óbvio que as pessoas na área sabem quem ou o que é esse ser. Ele foi visto, aparentemente, perto da ponte.

Dizem que todas as pessoas chamadas para testemunhar sobre ele são mantidas em manicômios, elas são chamadas de loucas por acreditar nele. Há uma coisa que, com certeza, as verdadeiras vítimas conheçam sobre esse assassino: elas sabem que ele está observando, esperando o momento para atacar.


Este assassino sombrio é conhecido por deixar suas vítimas com cruzes em seus olhos, e uma expressão triste no rosto.



Fonte: creepypastadark.blogspot.com

Mãe da Noite

Em Charlotte, na Carolina do Norte, há uma lanchonete. A placa na porta diz que o lugar está fechado, mas quando você chegar, a porta estará desbloqueada. Você pode entrar, se quiser, mas saiba que se você o fizer, não poderá sair até que a sua tarefa esteja concluída. Lá dentro vai estar muito escuro para distinguir os detalhes na sala, independentemente do tempo. Vá em frente, não vire nem para a esquerda ou para a direita. A distância para qual você vai andar varia, mas é sempre maior do que o edifício permite fisicamente. Eventualmente, você chegará a uma escada; você vai poder a notar, porque uma luz fraca vai brilhar na parte inferior da escada. Antes de descer, diga estas palavras: "Eu vim aqui para fazer um acordo com a Mãe da Noite".

Você ouvirá então um grunhido sinistro em resposta. Você agora estará livre para descer as escadas. Se a luz das escadas não deixar de brilhar, você poderá executar o ritual. Os filhos da Mãe da Noite gostavam de fazer um pouco de exercícios antes de dar uma festa. A luz então vai parar de brilhar quando você chegar ao fundo da escadaria, assim, chame a Mãe da Noite. E então, logo você vai desmaiar. Você vai acordar em um pequeno quarto escuro iluminado por uma única lâmpada pendurada. Levante-se. Você irá então notar que ao seu lado há uma cadeira de madeira e uma mesa.

Sente-se na cadeira. No outro lado está a Mãe da Noite. Ela não vai falar. Diga a Mãe da Noite o que você mais deseja no mundo. Tenha certeza de que é algo que você não pode ter de qualquer maneira humana, porque a Mãe da Noite exige um preço elevado para os desejos que concede. Depois de ter dito a Mãe da Noite o seu desejo, ela vai esticar a mão. Suas mãos não são nada além de ossos com carne podre frouxamente pendurada. Seus dedos vão cavar até o seu crânio, e sua mente será preenchida com imagens de cadáveres desmembrados, animais deformados, fetos abortados, entre outras coisas horríveis. Suporte tudo isso e não abra os olhos. Eventualmente, as imagens vão parar e a dor vai desaparecer, e você vai cair em um sono profundo.

Quando você acordar, estará em frente à lanchonete. Você já está livre para ir. Quando você enfim chegar ao lugar que chama de casa, o que você desejou estará em sua posse. Agora, todas as noites, quando você dormir, irá sonhar com o quarto mal iluminado onde o seu desejo foi concedido e você deverá sentar-se na cadeira. A Mãe da Noite então vai lhe dar a imagem de alguém. No dia seguinte, você vai encontrar essa pessoa, e você deverá matá-la e consumir a sua carne. Tenha certeza de que o que você desejou tenha valido a pena, porque agora você será o escravo da Mãe da Noite, realizando os seus tórpidos e obscuros desejos até o dia da sua morte.




--


Créditos especiais a meu amigo Fernando Thiago, que sempre está fazendo traduções impecáveis em seu blog. Visitem o Lua Pálida