quinta-feira, 9 de maio de 2013

Yume Nikki – Até o limite do sonhar



Boas festas galera, matéria especial da virada de ano! Nossa, essa matéria ficou realmente maior do que eu espera, mas tudo bem, esse jogo merece. Curioso que tentei não deixar a matéria confusa, mas não teve jeito, ela está realmente confusa, o que na verdade combina bastante com o jogo. Espero que gostem, feliz ano novo a todos!

ATENÇÃO! Devido a minha necessidade pessoal de explicar o máximo sobre um tema, o texto a seguir contém SPOILERS. Se você planeja jogar Yume Nikki e não quer descobrir vários segredos, não leia o texto ou veja as imagens, em especial o final, pois vou dedurar legal. O texto vem a seguir, e você FOI avisado.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Yume Nikki é mais um exemplo de jogo criado na plataforma RPG Maker que apesar do visual simples está fazendo um sucesso relativamente grande pelo mundo.

Yume Nikki (Diário dos Sonhos) é um jogo japonês da plataforma RPG Maker 2003 que foi lançado em 2004 pelo desenvolvedor independente conhecido apenas como Kikiyama. O jogo ganhou status de cult após ter sido divulgado no fórum japonês 2channel, se espalhando pelo mundo em seguida. Hoje a internet está infestada de fanarts e fanfics dele. O jogo é muito original e possui uma trama no mínimo curiosa.

A trama do jogo gira em torno da personagem principal Madotsuki, ou melhor, dos sonhos da personagem, que são onde o jogo ocorre.

Madotsuki é uma hikikomori (explicarei no próximo parágrafo) e nunca sai de casa, ou seja, todos os cenários estão acontecendo dentro da imaginação da garota.

“O fenômeno hikikomori tornou-se relativamente comum no Japão nos últimos anos. Um hikikomori é um indivíduo que se recusa a viver em sociedade, pelo menos a real, e vive trancado em casa, jogando jogos online e comendo comida instantânea. Essas pessoas não trabalham e são sustentadas pelos pais (a economia do Japão vem tentando resolver esse problema a tempos) e estima-se que atualmente 1% da população masculina do Japão seja constituída de hikikomoris, mostrando os sérios problemas que a pressão social japonesa criou nesses indivíduos, que se recusam a encarar viver vidas normais.”

No cenário inicial, a casa da garota, não há muito para se fazer. Madotsuki não fala nada durante o jogo inteiro. Se você tentar sair de casa a única resposta é Madotsuki balançar a cabeça em sinal negativo. O jogo começa quando você deita na cama, dentro dos sonhos de Madotsuki. O objetivo é colecionar todos os 24 “efeitos” (habilidades que modificam a aparência da personagem e variam desde “cabelo de cocô” até “demônio”) estes espalhados ao longo de 12 mundos diferentes, e colocá-los em uma sala especial, destravando o final do jogo.

Ao longo dos cenários o jogador se deparará com os mais diferentes ambientes, e conhecerá as mais bizarras criaturas. Um dos pontos mais fortes do jogo é sua trilha sonora original que combina perfeitamente com cada cenário. Vou postar alguns vídeos sobre as músicas, e um Link para a biblioteca musical completa abaixo:




Apesar de ser criado em uma plataforma de RPG o jogo não pode ser considerado RPG. A personagem não pode morrer, e existe a segurança de a qualquer momento você poder ativar a ação “beliscar a bochecha” para voltar para seu quarto e recomeçar o sonho de novo. Os únicos inimigos que podem representar alguma dificuldade são alguns poucos monstros e os “Toriningen” (Humanos pássaro) quando estes tocam na personagem ela é teleportada para um ambiente inescapável conhecido como “Hell” (Inferno), de onde o jogador é obrigado a acordar e recomeçar o sonho. A única forma de salvar o jogo é escrevendo no diário da varanda da casa de Madotsuki, o tal diário dos sonhos, onde supostamente Madotsuki anota os acontecimentos por onde passou no mundo onírico.

Bem, o jogo que a primeira vista pode ser aparentemente infantil, pode causar bastante perturbação aos despreparados. No meio das confusões que são os diversos mundos de Yume Nikki (variando desde mundos numéricos até esgotos e florestas fechadas) existem centenas de mensagens subliminares e as músicas e cenários são depressivos e confusos o tempo todo. 


Muitos cenários enormes nem mesmo possuem um propósito, parecem ter apenas funções decorativas. Vi muitos relatos de pessoas que jogaram o jogo por meia hora e não aguentaram mais dizendo que a ambientação e as cores causavam uma sensação melancólica e desconfortável. Muitos relacionaram essa sensação de abandono com o fato da personagem não falar e dos seres que ela encontra também raramente falarem alguma coisa.


Dois dos “efeitos” encontrados por Madotsuki merecem um destaque especial. O primeiro é “Cat” (gato) que faz com que Madotsuki vista uma fantasia de gatinha e mie. Esse efeito produz reação em quase todos os personagens do jogo, normalmente eles arregalam os olhos ou se movem mais freneticamente tentando segui-la. Algumas pessoas relacionam essa atitude com eles estarem “excitados” por ela. O outro efeito é “Knife” (Faca) o único efeito violento do jogo. Ao utiliza-lo a maioria dos personagens que podem se mover tentam fugir (outros ficam tremendo). Madotsuki pode usar a faca nos personagens, nesse caso eles normalmente gritam e desaparecem, alguns tem outras reações mais estranhas.

O jogo não se preocupa em explicar absolutamente nada, o que deu margem para que os fãs criassem diversas teorias sobre os significados dos sonhos de Madotsuki. Falarei sobre os principais aqui e aproveitarei para falar sobre diversos personagens importantes da série, que estão relacionados com as teorias.


A teoria mais aceita é que Madotsuki teria sido vítima de estupro, provavelmente pelo personagem representado por “Seccom Masada-Sensei”. Ele seria professor de piano de Madotsuki (a mesa dele tem duas cadeiras), e ele é um dos poucos personagens que possui uma cama onde Madotsuki deve deitar para prosseguir no cenário. Existe também o personagem conhecido como KyuuKyuu-kun, que possui um formato fálico.


 Para encontrá-lo você deve rasgar uma porta em forma de zíper que sangra (uma referência à virgindade roubada?) para piorar, ele esfrega um corrimão quando você fala com ele, se você usar o efeito “Gato” ele esfrega mais rapidamente, se você usar “Faca” ele esfrega mais lentamente (o que alguns teorizam simbolizar que ele não iria parar independente do que se faça). Essa teoria também é fortalecida por vários monstros com formato de útero (alem de úteros estilizados nos planos de fundo) que simbolizariam medo de gravidez por estupro e pelas famosas manchas de sangue que estão espalhadas em lugares escondidos do jogo e poderiam significar lugares onde a garota foi violentada, além de quadros sugestivos pelo jogo.


Outra teoria seria que Madotsuki na verdade está morta, e o mundo dos sonhos seria na verdade o mundo espiritual, o quarto seria a parte dela presa no mundo real, onde ela teria morrido. Nesse caso as manchas de sangue mostrariam lugares onde ela pode ter morrido ou viu pessoas morrerem (talvez um assassino). Outros dizem que a causa da morte foi um acidente de carro. Já que existem várias referências a pessoas mortas nesse tipo de acidente (outras pessoas que estavam no mesmo veículo que ela, talvez) nesse caso temos “Corpse-san” um garoto verde (decomposto?) e ensanguentado no chão que se contorce aparentemente atropelado. 


Temos também “Scarf Girl”, uma garota invisível normalmente, mas quando exposta ao efeito “Semáforo” no sinal vermelho, fica visível (alguns teorizam que no sinal vermelho ela foi acertada por isso fica visível, depois, no sinal verde, ela já era um fantasma). E as “monochrome sisters” Monoko e Monoe. Monoko parece uma garota comum, mas quando é exposta ao efeito “Semáforo” no sinal vermelho se transforma em uma figura deformada e cheia de braços, sendo que alguns dizem que os vários membros seriam a forma de uma garotinha interpretar fraturas expostas.


Há uma outra teoria que diz que na verdade Madotsuki é uma homicida, por isso foi trancada em casa e impossibilitada de sair. Ela só revelaria essa sua face no jogo quando o jogador consegue o efeito "Faca". Os personagens do mundo dos sonhos não se incomodam com a presença dela, mas fogem quando ela está com a faca na mão, talvez porquê soubessem do que ela é capaz. Mesmo quando mata outros personagens, o que não são cenas exatamente leves porque eles gritam e sai sangue, Madotsuki nunca muda sua expressão, seria frieza? De acordo com essa teoria a garota que seria o assassino e as manchas de sangue espalhada pelos cenários indicariam lugares onde ela teria assassinado outros personagens.

Existe ainda a teoria de que Madotsuki na verdade é um transgênero, essa é a mais fraca, o principal motivo seria porque no jogo, Madotsuki utiliza tanto banheiros masculinos quanto femininos. Existe um armário no jogo onde encontramos outra Madotsuki agachada dentro (ainda não saiu do armário?) e nesse caso os úteros e símbolos fálicos demonstrariam a confusão de Madotsuki quanto ao próprio sexo.

Uboa


Impossível falar de Yume Nikki sem citar Uboa, ele, ou ela, é a principal razão pela qual o jogo “viralizou” na internet, vindo inclusive a se torna um meme.

Uboa não possui sexo definido, nem mesmo um nome oficial. O nome Uboa provavelmente surgiu da fonética do grito dele “Uhhooooaaaa”. Alguns teorizam que o rosto de Uboa é uma referência ao “Ghost Face” da saga de terror “Pânico”, enquanto outro apontam que é uma versão corrompida da face de um “clanker” do jogo “Mischief Makers”.


A cena em que Uboa aparece é o único momento de susto intencional no decorrer do jogo. Na casa da personagem Poniko (uma garota loira que aparentemente é uma hikikomori como Madotsuki) se você desligar e ligar as luzes várias vezes existe 1/64 de chance de o cenário mudar e uma face negra surgir gritando no chão. A teoria geral é que aquela é a verdadeira forma da garota Poniko (Uboa não aparece se Poniko tiver sido morta com o efeito “Faca”) e que representaria um “lado negro” da personagem, que se mostraria por impaciência (de Madotsuki brincar com as luzes) ou medo do escuro. Nesse momento será impossível sair da sala, sendo esse o único momento do jogo em que o efeito “se beliscar” não funcionará. A única saída é interagir com Uboa.


Nesse momento Madotsuki será teleportada para um cenário horizontal, de onde se vê uma figura gigante e deformada ao fundo com vários braços, como no caso da garota Monoko. Ela é vermelha e parece estar vomitando sangue. Alguns teorizam que essa imagem tão grande e violenta representa a memória do corpo morto da própria Madotsuki, e estaria tão escondida no jogo por ser uma imagem que Madotsuki tentou esconder a todo custo de si mesma.

Aposto que você não está mais com vontade de brincar com as luzes do seu quarto não é mesmo.

O Fim

Devo abrir um parêntese final para comentar sobre como o jogo termina, e não há spoiler maior que esse...

No final do jogo, após pegar todos os efeitos, Madotsuki acorda e vai para a varanda. Haverá uma plataforma lá. A garota subirá na plataforma e se jogará de seu apartamento. Ou seja, Madotsuki se suicida no final... Uma música muito triste toca e os créditos surgem, juntamente com uma mancha de sangue no meio da tela. A mesma mancha de sangue que citei alguns parágrafos acima, aquela que está escondida em alguns lugares do jogo.



Na época, os fãs ficaram chateados com esse final. Acredito que muitos esperavam que no final Madotsuki parasse de sonhar e saísse do quarto, mas não, ela simplesmente se mata.

Existem diversas teorias do porque Madotsuki age daquela forma. Uma delas é que naquela altura do jogo ela já não saberia diferenciar o sonho da realidade, por isso se jogou tentando acordar (mais ou menos como acontece no filme “Inception”). Outra teoria é que a garota não queria mais viver no mundo real, preferindo se matar na esperança de poder ir para o mundo dos sonhos eternamente. Os fãs tentam relacionar a mancha de sangue que reaparece no final como se Madotsuki estivesse tendo uma premonição que iria morrer quando as encontrava no jogo, e outros interpretam como se a mesma mancha do final simbolizasse que ela voltou para os sonhos depois de morrer.



Essa imagem que encontrei é uma das mais tristes e que melhor representa aquele momento. Madotsuki está deitada, indefinível se está morta ou dormindo. Os efeitos estão ao redor dela, como se fossem sua cama. No canto inferior direito está o diário, como se estivesse se desfazendo...
A minha teoria é que Madotsuki não aguentava mais. Não se tem certeza sobre o que ela passou, mas ela passou por muita coisa. Depois de conseguir todos os “efeitos” do mundo dos sonhos ela simplesmente percebeu que não havia mais o que fazer. No desespero ela desistiu daquela vida pequena que tinha e resolveu se libertar na morte.

Yume Nikki tem realmente um final incrivelmente triste que nos faz pensar... Se você viver apegado a um mundo e de repente perceber que já não há nada que se pode fazer. Você Continuaria? Ou desistiria?


Fonte: creepyattic.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário